13 de setembro de 2009

Asfixia democrática

Cada vez mais Armindo Costa se assemelha a Alberto João Jardim tal é o descaramento no abuso do poder para uso da sua campanha eleitoral.
Ontem (dia 12) assisti a uma situação bem demonstrativa disso, na entrada da Feira de Artesanato, vários funcionários da Câmara Municipal, devidamente identificados com colete e crachá, entregavam a quem entrava um exemplar da edição do dia 11, do jornal Correio do Minho de Braga, em que surge na 1ª página o destaque de um suplemento com Armindo Costa.
Esta é uma situação de claro abuso de poder em benefício próprio, que não pode deixar os famalicenses indiferentes.

2 comentários:

SCP Sempre! disse...

Não percebi onde está o abuso de poder. Pode explicar melhor? pois estou a fazer um estudo para a universidade sobre a política em Famalicão... Ou vai censurar esta pergunta?...

José Luís Araújo disse...

Carissimo(a).
Utilizar uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal, com funcionários do Município para fazer propaganda, é manifestamente um abuso de poder. Tanto mais que é sabido das pressões que são exercidas sobre os(as) funcionários(as) que se recusam a fazer este tipo de "tarefas".

"O mal dos seres humanos, é que preferem ser arruinados pelos elogios, a ser salvo pelas críticas."