10 de fevereiro de 2009

Dos outros 48

Antes que Berlusconi conseguisse usar a tragédia de uma família para fins políticos (o senhor lembrava que esta rapariga, há 17 anos em estado vegetativo, até podia ter filhos - já sabemos que há quem veja cada mulher como uma simples incubadora), Eluana morreu. A sua família pode chorá-la em paz. A abjecta direita italiana pode voltar a usar o sofrimento de outros (os imigrantes, por exemplo) para ganhar uns votos.

Daniel Oliveira em: A agenda do abutre

1 comentário:

Mário de Sá Peliteiro disse...

assassinato abominável
Mataram-na à fome, esta é a verdade.

"O mal dos seres humanos, é que preferem ser arruinados pelos elogios, a ser salvo pelas críticas."